Páginas

~ 7.9.11 ~

Era tão bom quando ela dormia! Os loucos deviam mesmo dormir o tempo todo, de dia e de noite,como as bonecas que só abrem os olhos quando tiradas da caixa.

Lygia Fagundes Telles




Durante a minha vida me apaixonei duas vezes, a primeira foi quando eu tinha 14 anos, e foi por que ele era inteligente e bonito. A segunda foi com 18 anos, e foi por que eu era inteligente e bonita. Foram duas formas diferentes de se apaixonar, mas eu vou lhes contar.
A primeira vez, eu me apaixonei por ele, a segunda eu me apaixonei por mim mesma. Confesso que na segunda foi melhor, pois eram laços que eu traçava comigo mesma. Me senti confiante e ninguém seria capaz de me fazer mudar de ideia. 
A primeira eu estava subindo as escadas, quando de repente vi ele ali parado, lindo conversando com outra menina, foi inédito o olhar que lancei diante dele, e isso que eu nem conseguia enxergar meu próprio olhar, e foi bonito o jeito que ele sorriu gentilmente, pois ainda não me conhecia e nem eu a ele. A segunda vez, foi quando  depois de escutar elogios de muitas pessoas, eu mesma percebi o quão era inteligente e quanta coisa bacana eu sabia, e a partir dai eu queria passar isso adiante. Eu sei que elogios não levam ninguém a nada e nem faz ninguém crescer, mas eu me apaixonei por mim mesma a partir dai.
Mesmo estando longe e mesmo depois de uma história muito bonita que vivi ao lado dele, eu ainda sinto a mesma paixão, tanto por mim quanto por ele, só que preciso me reorganizar, a vida está ficando chata e monótona e não quero envolver ele no meio dessas coisas feias e monstruosas.


Tati Lemos

9 comentários:

  1. Nossa Tati, seus textos são demais, não tem como não se identificar..
    Perfeito! E olha querida, o amanhã sempre explica os porquê's de "um" hoje turbulento..
    'Coragem, às vezes, é desapego'... ou melhor, Desapego é que é coragem!
    E isso só consegue, quem possui um coração determinado a recomeçar...
    Ótimo Feriado!
    Bjoo..

    ResponderExcluir
  2. Uau!!!

    Quando a gente se ama, tem muito mais chances de fazer com que outras pessoas nos amem também. Fato.

    Amei o texto, uma delícia de ler, flor.

    ;)

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  3. que texto maravilhoso! eu amei muito seu blog, e estou seguindo :)
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Se amar em primeiro lugar é o melhor que fazemos por nós mesmas.=D Legal o texto. (Obrigada também pelo comentário) Bom fim de semana

    ResponderExcluir
  5. Que lindo Tati! mas pq estao longe?
    Apesar que penso eu, que amor de verdade, nada destroi! ;]

    Achei tao lindo a parte que vc disse: "A primeira vez, eu me apaixonei por ele, a segunda eu me apaixonei por mim mesma."

    Preciso gostar mais de mim, urgentemente.

    Beijos flor, bom fds.

    ResponderExcluir
  6. Guardar um amor pra proteger das coisas feias...rs...vc tem noção de como escreve bonito?
    bjss

    ResponderExcluir
  7. que lindo... se apaixonar por si mesma, é muito importante...
    estou precisando...
    qto a ele... o amor é trabalhoso e exigente... nao da pra saber ao certo oq fazer...
    beijosss

    ResponderExcluir
  8. Que lindo, Tati!

    Amei ler isto:

    'Mesmo estando longe e mesmo depois de uma história muito bonita que vivi ao lado dele, eu ainda sinto a mesma paixão, tanto por mim quanto por ele.'

    Tudo que é verdadeiro permanece.

    um beeijo!

    ResponderExcluir
  9. Muito obrigada pela visita... vim retribuir e achei teu blog muito delicado, rico (de literatura) e lindo de amor...

    ResponderExcluir

22, leonina, estudante de Recursos Humanos, feminista, louca, exagerada, dramática, maníaca, fantasiosa, apaixonada, delirante, cinéfila, MPB, paz e amor e viciada em café.

 
Por ti, pra ti © todos os direitos reservados :: voltar para o topo