Páginas

~ 18.12.11 ~

Tudo bem, até pode ser
Que os dragões sejam moinhos de vento.
Engenheiros do Havai

Estive lembrando de minha infância, e cheguei a conclusão de que fui uma das crianças mais feliz do mundo, tá certo eu nunca tive uma Barbie original, mas as réplicas de plástico me faziam feliz, a minha mãe fazia todas as roupinhas que eu desenhava. Quando chovia eu sempre queria tomar banho de chuva e enchia o saco da minha mãe, até que um dia ela deixou e eu ficava gritando no quintal, (parecia uma louca). Eu sempre pedia pra minha mãe comprar Trakinas no supermercado e ela sempre comprava, a minha mãe era uma boa companheira e é até hoje, eu desejava que todos os natais toda a família tivesse reunida e eu e meus primos brincávamos e ficávamos na rua até tarde. Eu tinha uma motoca que mão emprestava pra ninguém e a minha prima queria sempre andar nela, um dia eu deixei (risos), eu tive também um diário onde eu contei como foram meus primeiros dias de aula, aah esse diário se perdeu quando nos mudamos para a casa nova. Eu fiquei maravilhada a 1ª vez que fui em um teatro e queria subir lá no palco, era um musical da vaquinha Lelé...
Na minha adolescência, eu fui apaixonada por um colega que tinha o olho azul, meu primeiro beijo foi com ele, o menino mais bonito do colégio, que todas queriam namorar, orgulhosa eu fiquei. Quem também nunca foi apaixonada por um professor? Aah amor platônico eu sei, mas eu me apaixonei, não parava de olhar ele e fazia de tudo pra conversar com ele, coisas assim acontecem né gente (que vergonha). Eu tinha uma coleção de Gibi do tio Patinhas, eu era tão ingenua e ao mesmo tempo tão precoce. Eu tive as amigas mais loucas do mundo, elas eram muito tri, sabe aquelas que você pode estar vestida como uma mendiga, mas elas te dizem que você está linda? Sabe aquelas que riem junto com você, quando a piada nem teve graça? Aquelas que te fazem pagar o pior mico e depois ainda dão gargalhada? Aquelas loucas que chegavam nos meninos na cara de pau e pediam o numero mentindo que era pra mim, mas era pra elas, safadas! Elas posavam na minha casa, chamavam minha mãe de tia, abriam a geladeira e tomavam banho comigo (risos). Sinto tanta saudade disso.
Mas agora a minha vida é 8 horas diárias pra cumprir, tem pessoas e normas pra obedecer, tem vestibulares pra passar, tem namorado e um amor pra viver, a vida mostra que a gente sempre vai sentir saudade do que ja passou, por isso aproveite, tudo vale a pena.

Tati Lemos

13 comentários:

  1. Não importa, por mais que aproveitemos e demos muito valor sempre sentiremos saudades!
    Saudade é a prova que o passado valeu a pena né?!
    Lindo o texto, o que é escrito com sinceridade e carinho sempre encanta!
    beijo ;)

    ResponderExcluir
  2. gracias por pasarte, gran entrada!

    besitos!

    ResponderExcluir
  3. Olá, moça do sul rs
    obrigado por seu comentário
    lá no meu poema "Rotas do sul"
    beijos;)

    ResponderExcluir
  4. Adorei a fotinha da bebê. Peguei pra mim!

    Aqui tá lindo, como sempre, né?

    PS: Temos que viver tudo como se fosse a última vez, né? É bom ter coisas boas para lembrar! =)

    ResponderExcluir
  5. A gente é a soma das coisas boas e ruins que vive, portanto tudo vale a pena mesmo, flor.

    Paixões por professores sempre rendem boas lembranças...rs

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  6. É pois é...mas apesar de tudo que foi gostoso na infância, que foi mto parecida com a sua, eu ainda prefiro a vida adulta.
    bjs

    ResponderExcluir
  7. realmente, quando lembro da minha infância penso...era feliz e não sabia auauuauuau.

    ResponderExcluir
  8. Ahh e como é gostoso resgatar na memória e como você disse, recordar que foi bom de viver! Adorei ler!
    Aproveitando...um natal de harmonia e luz pro seu coração e seu lar!

    ResponderExcluir
  9. Nostalgia , ás vezes é bom !

    Beijos :)

    ResponderExcluir
  10. ''(...)aquelas loucas que chegavam nos meninos na cara de pau e pediam o numero mentindo que era pra mim, mas era pra elas, safadas! ''

    Que delícia de texto Tati. Acho que tem um pouquinho de cada um de nós nesse texto. Aliás, um pouco do passado de cada um. Estamos vivendo a mesma fase então. A de se preocupar toda hora, a de provar a si mesmo onde se é capaz de chegar.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  11. E é tão maneiro sentir saudades do que foi bom, do que ficou nos lugares mais bonitos da memória.

    Escrevendo encantos como sempre né, Tati?!

    Querida, desculpa a ausência por aqui, estive cheia de coisas pra estudar e dores pra curar também, rs, mas agora tudo se encaminha de forma leve e doce.
    Que o seu Natal, Tati querida, seja de muita paz e amor. Que sua família esteja toda reunida e feliz, e que você possa acreditar nos sonhos que se perderam, nos que virão.
    Muita luz pra gente!

    beeeeeeeijo*

    O layout ficou lindo!

    ResponderExcluir
  12. Tati, a vida sempre vale a pena ser vivida e dela apreendida suas lições. Desejo-lhe um natal feliz, de luzes e cores se espalhando em seu caminho. Bjs, Moran

    ResponderExcluir

22, leonina, estudante de Recursos Humanos, feminista, louca, exagerada, dramática, maníaca, fantasiosa, apaixonada, delirante, cinéfila, MPB, paz e amor e viciada em café.

 
Por ti, pra ti © todos os direitos reservados :: voltar para o topo