Páginas

~ 30.3.12 ~

 A vida da gente é um acaso ( 6º e ultimo capitulo)


Http___meme_zenfs_com_u_ba36de2053e330b9d50b7c9503d2d99533fa0bd3_large

Do resto, só me lembro dos dias que foram passando tranquilamente e você me fazia sorrir em todos eles, você me convidava pra almoçar, para ir ao cinema a noite, me levava flores, não boques de flores, e sim algumas flores que você mesmo arrancava do seu jardim, por que às achava simples e bonitas assim como eu, você as  comparava. Eu nunca parei pra pensar e prestar atenção nas coisas bonitas que você me dizia, nos gestos e abraços que faziam algum sentido na minha e na sua vida, das vezes que você até me convidou para passar alguns finais de semana na casa do campo com você e seus pais.

Hoje estive pensando, você é legal demais, é amigo demais, bem só isso é essa a metáfora "amigo demais" não ia dar certo nós dois, não deu certo. Nossa só de lembrar que eu perdia o ar quando você passava por mim, lembrar de quando eu me sentia invisível por que não recebia sua atenção, nem sua amizade, como eu consegui fazer você virar meu amigo e se apaixonar por mim? eu sou mau ou sou uma pessoa boa? Será que eu te iludi? Não consegui dormir pensando nisso diversos dias. 

Aproveitei no mês em que tirei férias para não atender as suas ligações e nem responder seus e-mails, eu me sentia tão mal, quanto você se sentiria quando se sentisse menosprezado por mim. Antes de entrar de férias te dei um beijo na testa, jantamos comida japonesa juntos, você mencionou que queria me dizer algo, eu persenti que fosse sua paixão e não o deixei falar. Rimos e bebemos até a madrugada, fui embora do seu apartamento e te deixei dormindo. 

Ainda bem que você não sabia meu endereço, mas juro não queria te deixar triste, pelo contrário, queria muito ser tua amiga. Enfim, não resisti as 30 chamadas perdidas tuas em uma manhã de terça-feira, liguei de novo e você estava com uma voz abatida, me perguntando se estava tudo bem, se eu não tinha sido sequestrada, ou se eu não tinha perdido o celular, eu ri quase chorando. Queria e não queria ao mesmo tempo te dizer a verdade, mas eu gostava tanto de ti ainda. Menti que estava viajando, que estava bem longe, um lugar onde você não conseguiria me encontrar de jeito nenhum, você disse que não via a hora de me encontrar novamente pra me ver sorrir, e que sentia minha falta cantando inglês sem saber a letra dentro do seu carro, ri de novo e quase disse que também sentia saudades disso. 

Me decidi e no dia em que voltei das férias, você não estava no escritório, bom pensei "essa é a hora", fui até a sala do chefe e pedi demissão, quando em meio ao corredor levava minha caixa embora com as minhas coisas você passou com uma pasta preta com cara de assustado e um copo de cappuccino na mão, perguntava: - Alice, onde você vai menina? Por que essa caixa? Eu sai e nem olhei para trás, entrei no elevador e ele se fechou antes de você chegar na porta. Quando estava saindo do pátio, ouvi você na janela gritando: - Ei, Alice! Espera vou descer ai pra falar contigo. Eu comecei a chorar e te dei um tchau fraco, tão fraco quanto o azul do céu naquele dia, peguei um táxi e nunca mais te vi na minha vida. Até hoje você nunca mais me ligou ou me mandou e-mails, você deve ter me esquecido, e sinto tua falta como amigo, companheiro, sinto falta da tua risada, mas não ia dar certo.

Moral da história, "a gente só ama quando não é amado". A gente seduz, conquista, a gente até se envolve, mas depois que atrai a atenção do outro a gente desisti, claro que não é assim pra todo mundo. Mas algumas pessoas sentem prazer em sofrer e correr atrás e quando tem nas mãos deixa escapar. Assim foi a história de amor da Alice, que não deu certo pela incerteza do seu coração.

Tati Lemos

14 comentários:

  1. Que triste, Tati.

    E eu que torcia tanto pra um final feliz, mas a vida tem disso... Nem sempre em finais felizes, aliás ela é a continuação, acreditando nessa continuação que fico na torcida por Alice e Alexandre. Que encontre alguém especial e que acreditem.

    :)

    ResponderExcluir
  2. me surpreendeu achei que seria um final feliz como todos , adorei

    ResponderExcluir
  3. Adorei seu Blog.. ^^'
    te convido para conhecer meu cantinho: http://belezaeatragedia.blogspot.com/

    espero que goste, bjos..Até Mais!!

    ResponderExcluir
  4. que pena né?
    mas na vida todos ja passaram por uma situacao assim ou similar... faz parte. Situacoes nas quais queriamos ou pensavamos que queriamos algo, e depois que conseguimos vemos como um trofeu pra deixar na estante... é triste demais isso.
    mas
    até o dia em que encontramos alguem a quem amar de verdade, sem incertezas...
    um beijo e alegrias.

    ResponderExcluir
  5. "a gente só ama quando não é amado"
    Aconteceu muito comigo! rsrsrs
    entendo perfeitamente como é
    ótimo texto!

    ResponderExcluir
  6. é , final feliz é só em conto de fadas né ? a vida real é bem mais do que um "felizes para sempre" , mas ainda sim não é motivo pra desistir de sonhar .

    Bjuuu e saudades tbm =)

    ResponderExcluir
  7. Poxinha, eu torcia tanto por um final feliz ... mas ao mesmo tempo, surpreendeu pela inovação. Quantos casais já conhecemos que pareciam perfeito, coisa de destino e não deu certo? São coisas da vida, acontece!
    Eu gostei de verdade e me sinto meio "orfã" com o fim rs
    Sou uma grande fã dos seus escritos e parabéns, pois escreve maravilhosamente bem!
    Grandes beijos e volte sempre ^^

    ResponderExcluir
  8. Que final legal! *-*
    Adoro finais que não terminam em 'felizes para sempre'...

    Adorei a Alice, me indentifiquei com ela.
    E a mais pura verdade: só amamos o que não temos.

    Só acho que o carinha -esqueci o nome dele- desistiu fácil, não correu atrás dela. ¬¬'

    --
    Ausências são comuns, não são felizes, mas comuns.
    Tbm ando meio longe das outras blogueiras, a 'vida off' tá corrida.

    =*
    Boa Páscoa!

    ResponderExcluir
  9. O amor tem outras variantes
    cada caso o amor é um
    as vezes não é coisa
    alguma
    um poema solitário
    um verso abandonado
    num fado qualquer
    numa dança solitária
    de uma mariposa atordoada
    ao luar
    ou numa avenida de luz
    neon.

    Luiz Alfredo - poeta

    ResponderExcluir
  10. Não acredito que só amemos quando não somos amados. Acredito que o amor seja mais intenso. O amor ou a saudade. Sei lá. Mas sempre tem amor.

    ResponderExcluir
  11. Final inesperado, mas gostei. Por que não foi simplesmente uma história comum, com o que estamos acostumados a ver. E, sinceramente, me fez pensar sobre o meu comportamento...acho que foi até um sinal..ashaoishaioshaoi
    Adorei! ;D
    Bjo

    ResponderExcluir
  12. Final completamente diferente do que eu esperava, mas gostei. Existem mesmo pessoas assim... digo por mim. Já fiz isso uma vez e é uma. droga. Adorei :*

    ResponderExcluir
  13. Que não deu certo pela incerteza do seu coração.. Quase isso né?

    Mas, é isso que sinto.

    Abraço meu, doce Tati.

    ResponderExcluir
  14. Ah me surpreendeu Tati,
    jurava que iria ter um final feliz. Mas adorei, você arrasou.
    A gente tá sempre tão acostumado ao ver o final feliz em todas na maioria da hisórias né? e você deu um toque de realidade. Ficou muito bom mesmo.

    Beijooo
    Ótimo final de semana para você.

    Além das Palavras
    (umpoucodemimsm.blogspot.com)

    ResponderExcluir

22, leonina, estudante de Recursos Humanos, feminista, louca, exagerada, dramática, maníaca, fantasiosa, apaixonada, delirante, cinéfila, MPB, paz e amor e viciada em café.

 
Por ti, pra ti © todos os direitos reservados :: voltar para o topo